domingo, 26 de agosto de 2007

Câmara debaterá profissão das parteiras em audiência pública

O artigo a seguir é de extrema relevância. A possibilidade de formalização da profissão das parteiras tradicionais é de imensurável importância, visto que em algumas regiões do Brasil elas são os únicos profissionais disponíveis no manejo do parto/ pré-natal.

Sem contar que a regulamentação dessa profissão abre portas inclusive para o reconhecimento profissional de enfermeira(o)s obstétrica(o)s (pq não parteira(o)s?!) dentro do próprio sistema de saúde, no q diz respeito a planos de saúde.

Pode até ser q eu esteja sonhando um pouco, mas acho mais q justo planos de saúde começarem a cobrir, de forma CORRETA, o atendimento de Enfermeiros Obstétricos. A HelÔ tá nessa luta há tanto tempo! E fora todos os outros... E quantas mulheres não optaram por um parto natural pq "o plano de saúde não cobre"...

Ah, sei lá. Só sei q me emocionei ao ler o artigo. Compartilho com vcs.

Beijocas!


Câmara debaterá profissão das parteiras em audiência pública

Brasília, 22/08/2007 – A Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara dos Deputados aprovou hoje o pedido da deputada federal Janete Capiberibe (PSB/AP) para realizar uma audiência pública que debaterá a regulamentação da profissão das parteiras tradicionais. A audiência deve ocorrer em outubro e as parteiras serão convidadas por meio das suas organizações para expor suas opiniões sobre a regulamentação da profissão. Também serão ouvidos profissionais da área médica, entidades que defendem o parto humanizado, além de representantes do Ministério da Saúde.

A deputada Janete Capiberibe defende que as parteiras sejam incluídas no Sistema Único de Saúde e recebam kits para a realização dos partos, treinamento e salário. “Em muitos lugares do país, as parteiras são o único apoio à saúde que as gestantes, as parturientes e os recém-nascidos encontram. Elas cumprem uma tarefa do poder público onde o poder público não chega, por isso devem ser reconhecidas e valorizadas”, defende a socialista.

Durante o Governo do Desenvolvimento Sustentável do Amapá, um programa incluiu as parteiras no serviço público de saúde. Como resultado, houve redução na mortalidade dos nascituros e das parturientes, além da humanização do parto.

O projeto que regulamenta a profissão das parteiras tradicionais foi a primeira proposta que a deputada federal Janete Capiberibe apresentou na Câmara dos Deputados, ainda 2003. Hoje, a proposta tem a adesão de parlamentares de vários estados brasileiros.

Sizan Luis Esberci

Fonte: http://www.correaneto.com.br/noticias/08/23_8_07parteiras.htm

Um comentário:

renata disse...

Vc já viu o site mães da patria? Fotos de parteiras do Brasil todo, tiradas pela publicitária e fotógrafa Bia Fioretti. Ela expôs na câmara dos deputados, por ocasião de um evento que abordava o tema. São lindas as fotos!
Bjs